quarta-feira, 29 de julho de 2009

Um pouco de Rubem Alves...


"Se fosse ensinar a uma criança a beleza da música não começaria com partituras, notas e pautas. Ouviríamos juntos as melodias mais gostosas e lhe contaria sobre os instrumentos que fazem a música. Aí, encantada com a beleza da música, ela mesma me pediria que lhe ensinasse o mistério daquelas bolinhas pretas escritas sobre cinco linhas. Porque as bolinhas pretas e as cinco linhas são apenas ferramentas para a produção da beleza musical. A experiência da beleza tem de vir antes." (Rubem Alves)

"Há escolas que são gaiolas. Há escolas que são asas"

Escolas que são gaiolas existem para que os pássaros desaprendam a arte do vôo. Pássaros engaiolados são pássaros sob controle. Engaiolados, o seu dono pode levá-las para onde quiser. Pássaros engaiolados sempre têm um dono. Deixaram de ser pássaros. Porque a essência dos pássaros é o vôo. Escolas que são asas não amam pássaros engaiolados. O que elas amam são os pássaros em vôo. Existem para dar aos pássaros coragem para voar. Ensinar o vôo, isso elas não podem fazer, porque o vôo já nasce dentro dos pássaros.O vôo não pode ser ensinado. Só pode ser encorajado.(Rubem Alves)

O tempo perdido não pode ser recuperado. Sua beleza só pode ser vivida como ausência: a beleza dói... Magia é isto: invocar o que se foi, mas que continua a nos habitar. Ou será poesia? (Rubem Alves)

sexta-feira, 24 de julho de 2009

POESIA COM ARTE...

AS BORBOLETAS


Brancas

Azuis

Amarelas

E pretas

Brincam

Na luz

As belas

Borboletas

Borboletas brancas

São alegres e francas.

Borboletas azuis

Gostam muito de luz.

As amarelinhas

São tão bonitinhas!

E as pretas, então…

Oh, que escuridão!

PÁSSARO AMARELO

Moço Bonito que vem de lá
Moço Bonito encantado
Moço Bonito é tão bom te ter ao meu lado
Moço bonito que encanta
Moço bonito, teus olhos me dão esperança

Eu vim de lá...
Com tambores na alma
Eu vim, sem medo de viver
Eu vim, pra conhecer o belo
Eu venho em paz
Sou o pássaro amarelo...

EDUCASUL 2009 - EU PARTICIPEI!

ABERTURA

A solenidade de abertura, às 18h, contou com a presença de autoridades e convidados especiais. Em sua saudação, o organizador e diretor do Educasul Jessé Torres conclamou a todos, “procedentes de diferentes lugares e espaços educativos, a assumirem um compromisso ético com a instituição a qual atuam”.
- É com imensa satisfação e orgulho que os acolhemos, e em especial aos conferencistas e palestrantes que conferem fundamentação, seriedade e respeitabilidade às nossas discussões, contribuindo de modo salutar para o avanço da produção teórico-prática e proporcionando um espaço de formação que se solidifica a cada ano, frisou ele.

Coube ao professor Miguel Zabalza, doutor em Psicologia e Pedagogia pela Universidade Complutense de Madri (Espanha), fazer a primeira conferência, abordando “Avaliação e qualidade – participação ou controle?”. Disse o especialista que os próximos cinco anos são decisivos para o país abandonar os velhos valores educacionais que levam a criança a ir e voltar da escola sem estímulo e faz o professor indiferente aos problemas do aluno. Segundo frisou, a educação tem que preparar a criança social, física, intelectual e emocionalmente. Catedrático na Universidade de Santiago de Compostela, especialista em temas da educação infantil, desenvolvimento curricular, formação de professores e ensino universitário, Zabalza foi enfático ao dizer que se o sistema educacional não se transformar nos próximos anos, as futuras lideranças estarão comprometidas. Essa mudança, explicou, é o compartilhamento do respeito mútuo e confiança entre educadores e educandos.

MINI-CURSOS

O primeiro dia de atividades do Educasul 2009 começou com uma intensa movimentação dos participantes que, logo após o cadastramento, puderam escolher um dentre os três mini-cursos que ocorreram de forma paralela, das 14 às 17 horas.

RUBEM ALVES ALERTA – “É necessário acordar e dar prioridade à educação”

As observações são de Rubem Alves, psicanalista, professor emérito da Unicamp, bacharel em Teologia e Pedagogia, mestre em Teologia pelo Union Theological Seminary em Nova Iorque, doutor em Filosofia e autor de mais de 50 títulos voltados para adultos e crianças, muitos dos quais com enfoque na vocação do professor. Ele foi um dos destaques do 5º Educasul realizado no final da semana passada em Florianópolis com a presença de aproximadamente mil educadores procedentes de 197 regiões do país.
Rubem Alves disse que educação não tem nada a ver com fazer escolas, e tem tudo a ver com o ato de estar com as crianças e os adolescentes. “O aprendizado ‘a fim de’ passar nos vestibulares – aprendizado que é logo esquecido, passado os exames – poderia ser substituído pelo aprendizado em função do prazer e da utilidade. E assim se iniciaria o cultivo do tipo de inteligência essencial ao desenvolvimento da Ciência: só é bom cientista aquele que pensa como brinca”.

Ele frisou que educar significa criar pessoas que sejam bonitas, íntegras, que tenham gosto pela leitura e música, por exemplo. Mas, ao contrário, a atual tarefa dos educadores em sala de aula passou a ser a de “controlar a classe” e de “domar as feras”. O fundamental é ensinar a reverência pela vida, porque a vida de cada um é sagrada e todos só estão em busca de alegria. “Mas as escolas não sabem ensinar isso”, comentou.

É NECESSÁRIO ACORDAR

Dar prioridade à educação é uma mensagem que se repete a cada pesquisa de opinião. E, no entanto, o sistema educacional continua a deteriorar-se. “As mudanças acontecerão só quando os professores mudarem seus pensamentos e sentimentos em relação às crianças”, ensinou Rubem Alves. "É necessário acordá-los".

AVALIAÇÃO: DESAFIOS E PERSPECTIVAS

A conferência de Rubem Alves encerrou o Educasul 2009 que ocorreu de 22 a 24 de julho no Centrosul em Florianópolis. Foram 3 dias de mini-cursos, mesas-redondas, oficinas, painéis, palestras, convidados ilustres de várias partes do planeta e educadores de todo o país.

Lembrança para o papai...

NÃO ESQUEÇA DE COMENTAR!